[Papo Apenã #006] Movimento Das Mulheres Do Curdistão — Florencia Guarch #OPodcastÉDelas

Uma das bases desse projeto é pensar nos caminhos possíveis que temos à nossa frente. E para pensarmos em outros caminhos possíveis, outras estruturas possíveis, trouxe a Florencia Guarch, especialista no Movimento das Mulheres do Curdistão, para um papo muito gostoso.

Do artigo Biji Kritik Rojava: crítica radical e solidariedade contra a barbárie das guerras de reordenamento mundial, selecionei alguns trechos:

“O Confederalismo Democrático — modelo autogestionário que corresponde ao estatuto revolucionário de Rojava, (…) basicamente organiza a sociedade em níveis escalares partindo da base, e exige máxima representatividade da população nas esferas especializadas da política.”

“O modelo em vigor em Rojava foi montado (…) a partir de um repertório extenso de gestões da esquerda no último século, compondo num único mecanismo uma miscelânea de elementos do anarquismo e do socialismo, tanto quanto da social-democracia e da antiga ordem feudal, tem forte influência do movimento feminista ocidental, incorpora novas ondas capitalistas como a “economia solidária”, além de tentar introduzir técnicas ecológicas para a produção em geral.”

 

Os possíveis modelos de democracia e autogestão que estão ao nosso alcance, mesmo em situações tão adversas, permite uma organização da sociedade com bem mais representatividade popular nas esferas políticas. Mas esse modelo não está preso a seguir uma única linha, até pelas urgências locais.

E, claro, não podemos de deixar de falar sobre o papel indispensável das mulheres no movimento. Fico feliz de trazer para a campanha #OPodcastÉDelas2019 exemplos de mulheres revolucionárias na frente da luta contra a opressão em um cenário de guerra.

“Se hoje as mulheres ocupam papel central na formação social de Rojava, isso definitivamente não se deu por conta de uma “natureza feminina”, nem a convite de um líder homem iluminado, mas porque elas foram armadas pelas necessidades da guerra, ganharam força nas revoltas populares e forçaram sua maior participação ao longo do processo, como protagonistas da luta contra suas próprias opressões.”

Links:
twitter.com/i/moments/1021441785602756609
http://passapalavra.info/2018/04/119300


Nos fale o que você achou desse texto deixando um comentário!
Nos encontre também nas redes sociais pelo Facebook ou Twitter
Você pode colaborar com a gente via PadrimPatreon ou PicPay
O nosso Podcast você encontra em vários apps, SoundCloudDeezer e Spotify, etc!
E o feed para você acompanhar todas as entrevistas é esse!

[Apenã #031] Mulheres Nas Ciências #OPodcastÉDelas

Com grande diversidade de perspectivas reunidas nesse ep, começamos o mês de Março e a campanha #OPodcastEDelas2019. Trouxemos vários depoimentos de Mulheres nas Ciências – de diversas áreas, de diversas regiões do país, em diversos momentos da carreira acadêmica. <3

 

Contamos com:
– Joyce Kelly da Silva, química
– Bia Dias, bióloga
– Bárbara dos Santos, ciêntista política
– Débora Prado, jurista, Elas Chutando a Escada
– Marcela Alves, cientista da computação
– Renata Milanês, cientista social
– Taisa Mattos, comunicadora social, pesquisadora de comunidades sustentáveis
– Bia Mizoguchi, bióloga
– Beatriz Macedo, psico pedagoga
– Lygia Policarpio, engenheira de materiais
– Aline Pinheiro, letras em língua portuguesa
– Karina Oliveira, linguista, Apenã 26, Esperanto
– Bárbara Paes, bióloga, Dragões de Garagem
– Tupá Guerra, historiadora e demonologista


Nos fale o que você achou desse texto deixando um comentário!
Nos encontre também nas redes sociais pelo Facebook ou Twitter
Você pode colaborar com a gente via PadrimPatreon ou PicPay
O nosso Podcast você encontra em vários apps, SoundCloudDeezer e Spotify, etc!
E o feed para você acompanhar todas as entrevistas é esse!